Vai morar em república? Confira as boas práticas de convivência!

Blog Habitar Viçosa
6 minutos para ler

A época da faculdade é uma das melhores da vida de quem tem a oportunidade de cursar uma, principalmente quando se estuda em uma cidade universitária como Viçosa. Para muitos, se torna a primeira vez vivendo fora da casa dos pais, o que deixa a experiência ainda mais cheia de aprendizados e descobertas, em especial para quem opta por morar em república.

É muito comum, no ambiente universitário, que vários estudantes se reúnam para dividir a mesma casa e, desse modo, consigam reduzir as despesas. Porém, para que a vivência seja agregadora para todos, é preciso que algumas boas práticas sejam observadas.

Por isso, neste post, listaremos algumas das mais importantes regrinhas básicas de boa convivência, para tornar a sua experiência de morar em república ainda mais proveitosa. Colocando-as em prática, muito mais do que ter novos colegas de quarto, você fará amigos para a vida inteira!

Mantenha sempre a organização

É comum que com muitos moradores em uma casa, as coisas tenham uma tendência maior a se tornarem desorganizadas, principalmente se todos deixarem seus objetos espalhados pelos cantos. Desse modo, encontrar coisas importantes perdidas pela casa acaba se tornando uma missão impossível, deixando todos estressados e minando a boa convivência.

A melhor maneira de evitar que esse cenário caótico ocorra é estabelecendo um local certo para os pertences de cada morador e, claro, cuidar para que todos guardem suas coisas nos devidos lugares. Assim, além da casa se manter organizada, a praticidade e a paz entre os moradores reinarão dentro dela.

Respeite os itens dos outros moradores

É natural que cada morador tenha seus próprios hábitos alimentares, que podem ser diferentes dos demais. Por isso, alguns colegas podem comprar produtos que não são tão comuns e guardá-los na geladeira.

Mas o fato do produto estar lá não significa que esteja disponível para quem quiser comer como acontece na casa da mamãe. Portanto, você só deve consumir o que for comprado em conjunto e com a divisão combinada previamente, ou os seus itens particulares.

O mesmo acontece com os objetos pessoais e produtos de higiene, como desodorante, perfume, shampoo, toalhas etc. É comum, por exemplo, que as pessoas prefiram ter o seu próprio sabonete e não dividi-lo com ninguém, e isso deve ser respeitado.

Tenha regras para o uso das áreas e itens comuns

É normal que, em repúblicas, cada um lave a sua própria roupa, o que demanda a disponibilidade da máquina de lavar, do tanque e do varal para colocar as peças para secar. Por isso, o ideal é que se estabeleça um dia da semana de uso desses itens para cada morador.

O mesmo acontece com o uso do banheiro e da cozinha. Muitas vezes os moradores estudam no mesmo horário e precisam tomar banho e se arrumar para sair ao mesmo tempo, ou chegam juntos a casa e precisam preparar a própria comida. Nesse caso, o ideal é que se estabeleça o horário de uso de cada um e evitar atrasos que comprometam a rotina do outro.

Cuide da limpeza dos ambientes

Ninguém gosta de entrar na cozinha e se deparar com uma pia cheia de louça ou um fogão sujo; muito menos entrar no banheiro e ver que a descarga do vaso sanitário não foi acionada após o seu uso.

Por mais que pareçam coisas óbvias e simples, que não deveriam acontecer em hipótese alguma, quando ocorrem são capazes de minar completamente a boa convivência entre os moradores.

Além disso, a casa como um todo precisa ser limpa e arrumada diariamente para evitar o acúmulo de bagunça e sujeira. O ideal é cada um cuide do seu espaço e que haja um rodízio entre os moradores para a limpeza das áreas comuns.

Divida as contas a pagar

O principal objetivo de morar em república é reduzir as despesas com moradia durante o período da faculdade, que nem sempre permite que o estudante trabalhe e tenha a sua própria renda. Por isso, a divisão das contas deve ser justa.

É preciso lembrar que contas como as de energia elétrica e água, que são divididas entre todos os moradores, são afetadas pelo modo como cada um consome. Por isso, é necessário ter consciência na hora de tomar longos banhos ou permanecer por muito tempo com o ar-condicionado ligado.

Distribua as tarefas de casa

Por fim, a distribuição das tarefas de casa é um dos detalhes que mais causa problemas de convivência entre os membros de uma república, se o sistema não for bem pensado. Vale lembrar que não se trata apenas das tarefas internas, como a limpeza e organização da casa, mas também de atividades que precisam ser feitas fora de casa, como o pagamento das contas ou as compras de supermercado.

Nesse caso, vale o ditado: cachorro com dois donos morre de fome ou superalimentado. No caso da responsabilidade pelo pagamento das contas, por exemplo, é preciso que o “dono” dessa tarefa tenha plena consciência de que é ele quem precisa fazer isso.

O mesmo acontece com as tarefas relacionadas à manutenção e limpeza da casa. É preciso deixar bem definido, por exemplo, quem é o responsável pelo conserto de algum item que tenha quebrado ou pela compra de itens de uso comum, como o botijão de gás.

Colocando todas essas dicas em prática, morar em república se tornará uma das experiências mais gratificantes da sua juventude, e com certeza deixará muitos aprendizados e boas histórias para contar. Se a escolha do imóvel for bem-feita, as chances de ter uma experiência incrível aumentam.

Por isso, busque por um imóvel residencial, preferencialmente uma casa com muitos quartos e cômodos bem grandes, que possam ser divididos. Quanto mais moradores, menores serão as despesas para morar em república, embora a organização precise ser mais rigorosa. Mas colocando em prática as dicas que você acabou de ler, certamente, a convivência será bem pacífica, mesmo com muitos integrantes.

Agora que você já conhece as melhores práticas de convivência, pode começar a pensar em escolher o melhor imóvel para alugar e montar a sua república de estudantes.

[rock-convert-cta id=”87″]

Você também pode gostar

6 comentários em “Vai morar em república? Confira as boas práticas de convivência!

Deixe um comentário